Caso do homem que vivia “encarcerado”: mãe dá sua versão da história - sudoestepaulista

Caso do homem que vivia “encarcerado”: mãe dá sua versão da história

Maria Inês, alega que filho sofre de problemas psiquiátricos há 12 anos e vivia dessa forma sub-humana porque ele não permitia cuidados.

Um dos casos mais bizarros contados pelo jornalismo avareense e regional, nos últimos anos, é sem sombra de dúvidas, a história (que ainda está sendo contada) do homem, agora conhecido como Marquinhos, de 43 anos, encontrado dentro de sua casa completamente como o local, sujo e fétido.


Para a mãe de Marquinhos, a senhora Maria Inês, que divulgou uma nota contando a história, a sua versão deste emblemático caso, seu filho se encontrava naquela situação, porque ele próprio negava ajuda. Segundo Maria Inês, seu filho sofre de problemas psiquiátricos há cerca de 12 anos e que segue orientações do médico (é preciso saber quem) e “como mãe devoto a ele todo o meu carinho, a minha atenção e o meu amor”.


A nota foi enviada por dona Maria Inês, através da Polícia Civil de Avaré que por sua vez, disse à imprensa que o caso vai ser apurado pelo 2º DP, tendo como responsável o Dr. Marco Aurélio Gonçalves Gomes.


Confira na íntegra a nota enviada pela mãe de Antonio Marcos:

Eu, Maria Inês, a propósito das informações que estão sendo divulgadas na mídia e nas redes sociais, sobre supostos maus-tratos, que o meu filho Antonio Marcos, de 43 anos, estaria sofrendo, venho a esclarecer:

  1. Meu filho vem apresentando doença mental há mais de 12 anos. De lá para cá está recebendo tratamento psiquiátrico de modo permanente.
  2. Eu e ele morávamos juntos, mas com o tempo e em razão da doença ele não aceitou que eu continuasse vivendo na mesma casa. Tive que me mudar, mas todos os dias, durante esses anos, sirvo a ele o café da manhã, o almoço e o jantar.
  3. Ele não permite que outras pessoas entrem na casa. Em relação a mim, só admite que lhe leve a alimentação e eventualmente o que ele pede.
  4. O Marquinhos impede, sob ameaça, que eu ou qualquer outro familiar entre na casa para cuidar da arrumação e da higiene.
  5. Por fim, informo que sigo as orientações do médico dele e como mãe devoto a ele todo o meu carinho, a minha atenção e o meu AMOR.

Caso do homem que vivia “encarcerado”: mãe dá sua versão da história - sudoestepaulistaNo pedaço de espuma, no chão, era onde o homem foi encontrado, letárgico, pela Polícia Militar de Avaré
Caso do homem que vivia “encarcerado”: mãe dá sua versão da história - sudoestepaulistaUma das histórias, senão a mais, bizarras contadas pelo jornalismo regional

Cegarra Imóveis

BOM DA PESCA

Santa Cruz – Funerária

CASA DO MECÂNICO

ADS

Meines

BELLA PIZZA

Modelar Box

LPNET

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *