Confirmado o primeiro caso de varíola do macaco na região Sudoeste Paulista - sudoestepaulista

Confirmado o primeiro caso de varíola do macaco na região Sudoeste Paulista

Paciente está em isolamento em Itararé, apresentando melhora do quadro clínico

A Prefeitura de Itararé, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informa que, nesta terça-feira (12), foi confirmado o primeiro caso de Monkeypox, conhecida popularmente como “varíola dos macacos”, no município. Trata-se do primeiro caso registrado na região Sudoeste Paulista.


O munícipe está em acompanhamento desde o início dos sintomas e está em isolamento, apresentando melhora no quadro clínico.


Saiba mais


A varíola do macaco é uma doença viral que causa erupções na pele, com aparecimento, geralmente, rosto e depois se espalham para outras partes do corpo.


A transmissão entre humanos ocorre, principalmente, por meio de contato com lesões de pele de pessoas infectadas.


Os principais sintomas, são: febre, dor de cabeça, dores musculares, dores nas costas, linfadenopatia, calafrios e fadiga.


A varíola dos macacos é transmitida pelo vírus monkeypox, que pertence ao gênero orthopoxvirus. É considerada uma zoonose viral (o vírus é transmitido aos seres humanos a partir de animais) com sintomas muito semelhantes aos observados em pacientes com varíola, embora seja clinicamente menos grave. O período de incubação da varíola dos macacos é geralmente de seis a 13 dias, mas pode variar de cinco a 21 dias, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).


O nome monkeypox se origina da descoberta inicial do vírus em macacos em um laboratório dinamarquês em 1958. O primeiro caso humano foi identificado em uma criança na República Democrática do Congo em 1970. Atualmente, segundo a OMS esclareceu, a maioria dos animais suscetíveis a este tipo de varíola são roedores, como ratos e cão-da-pradaria.


A transmissão ocorre por contato próximo com lesões, fluidos corporais, gotículas respiratórias e materiais contaminados, como roupas de cama. E, segundo o órgão de saúde, a transmissão de humano para humano está ocorrendo entre pessoas com contato físico próximo com casos sintomáticos.


O contato próximo com pessoas infectadas ou materiais contaminados deve ser evitado. Luvas e outras roupas e equipamentos de proteção individual devem ser usados ​​ao cuidar dos doentes, seja em uma unidade de saúde ou em casa.

SS Consultoria

Cegarra Imóveis

BOM DA PESCA

Santa Cruz – Funerária

CASA DO MECÂNICO

Modelar Box

ADS

BELLA PIZZA

LPNET

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *