Filhote de Gato-Maracajá é resgatado por lavradores em Fartura - sudoestepaulista

Filhote de Gato-Maracajá é resgatado por lavradores em Fartura

Espécie é listada como "quase ameaçada" é também conhecida como Gato-do-mato.

Lavradores encontram em meio a uma lavoura, por volta do meio dia, dessa quinta-feira, 2, no Bairro Taquara Branca, em Fartura, um raro filhote de Gato Maracajá. Conscientes, os colhedores de café levaram o animal até a Chácara Municipal, onde foi recebido pela coordenadora Patrícia Garcia.

Segundo ela, o lindo bichinho, um macho, é recém-nascido, haja visto que parte do cordão umbilical ainda estava preso ao corpo do filhote. Hoje é um animal raro na região, mas na década de 40, segundo os antigos moradores, era encontrado facilmente na área rural de Fartura.

Apesar das circunstâncias, o gatinho selvagem não possui ferimentos e está se alimentado bem. Ele será encaminhado para Assis, onde está a APASS – Associação Protetora de Animais Silvestres, que é especializada no manejo da espécie.

O Gato-maracajá ou Gato-do-mato

O gato-maracajá, gato-do-mato, gato-peludo ou maracajá-peludo (nome científico: Leopardus wiedii) é um pequeno felino nativo da América Central e América do Sul. Solitário e noturno, vive principalmente em florestas perenes e decíduas.

O nome científico Felis wiedii foi usado por Heinrich Rudolf Schinz em 1821 em sua primeira descrição científica do gato-maracajá, em homenagem ao príncipe Maximilian zu Wied-Neuwied, que coletou espécimes no Brasil. Até a década de 1990, os gatos-maracajás eram caçados ilegalmente para o comércio de animais selvagens, resultando numa grande diminuição da população. Desde 2008, foi listado como quase ameaçado na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) porque acredita-se que a população esteja diminuindo devido à perda de habitat após o desmatamento.

Tem, como característica, uma cauda mais longa do que seus membros posteriores. Os seus pelos são amarelo-escuros na parte superior do corpo e na parte externa dos membros. Tem manchas sob a forma de rosetas com uma região central amarela por todo o corpo, da cabeça à cauda. Uma característica da espécie são seus olhos bem grandes e protuberantes, como também, focinho saliente, patas grandes e cauda bastante comprida. Possui uma grande habilidade arborícola. Seu período de gestação dura em média em torno de 80 dias, vindo à luz apenas um único filhote por vez.

A espécie se encontra listada como “quase ameaçada” pela IUCN, por sua ampla distribuição geográfica, sendo encontrada desde a zona costeira do México até o norte do Uruguai e Argentina e em todo o Brasil (com exceção do sul do Rio Grande do Sul). Estima-se que nos próximos 15 anos a população sofrerá um declínio de pelo menos 10%, principalmente pela perda e fragmentação de habitat relacionadas a expansão agrícola. No Brasil, a espécie já se encontra na lista vermelha. Fonte: Wikipédia.

Filhote de Gato-Maracajá é resgatado por lavradores em Fartura - sudoestepaulista

O felino será encaminhado para Assis, onde está a APASS – Associação Protetora de Animais Silvestres, que é especializada no manejo da espécie.

Filhote de Gato-Maracajá é resgatado por lavradores em Fartura - sudoestepaulistaAtualmente é um animal raro na região, mas antigamente era visto com frequência
Filhote de Gato-Maracajá é resgatado por lavradores em Fartura - sudoestepaulistaGato-maracajá ou Gato-do-mato

Cegarra Imóveis

BOM DA PESCA

Santa Cruz – Funerária

CASA DO MECÂNICO

ADS

Meines

BELLA PIZZA

Modelar Box

LPNET

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *