Irmãozinho de Carlos Henrique contou como eram brutalmente torturados pelo monstro de Avaré - sudoestepaulista

Irmãozinho de Carlos Henrique contou como eram brutalmente torturados pelo monstro de Avaré

Médica que atendeu a criança já morta, constatou possível abuso sexual; mãe será investigada por conivência.

Os relatos do irmão de 10 anos que sobreviveu às torturas brutais do padrasto e monstro Dione Teixeira dos Reis, de 28 anos, é de arrepiar qualquer um que tenha um pouco de empatia com o próximo. O Portal do Sudoeste Paulista teve acesso ao Boletim de Ocorrências e, mesmo com jornalistas com até 28 anos de profissão, a redação ficou estarrecida.Segundo as conselheiras tutelares de Avaré, Gislene e Suellen, o sobrevivente contou a elas que seus machucados nos olhos eram consequências de socos desferidos pelo monstro.

Ainda narrou às conselheiras que o monstro (torturava) seu irmão com choques elétricos e o segurava pelo pescoço enquanto dava murros em sua barriga.

Para tornar o caso ainda mais chocante, os médicos que atenderam o pequeno Carlos Henrique, relataram aos policiais que além dos ferimentos, constataram sinais de abuso sexual. Testemunha disse com exclusividade ao portal que a criança também apresentava ferimentos graves em sua genitália, possivelmente derivados dos choques elétricos.

Preso preventivamente acusado e enquadrado pelo crime de Tortura, Dione Teixeira se for condenado pode pegar até 16 anos de prisão, mas, levando-se em consideração as benevolências da lei, quiçá uns 10 ou até 8 anos de cadeia para esse monstro.

Quanto a mãe dos garotos que moravam com o pai em Pardinho e estavam de férias em Avaré, somente foi encontrada pelos policiais militares no Pronto Socorro. Sara Santos da Fonseca, moradora da Rua Francisco Corrêa de Campos, Vila Esperança, disse que não sabia das torturas, dos ferimentos nos filhos, uma completa inocente, segundo ela mesma. A Polícia Civil disse que a Delegacia da Mulher, é a encarregada de investigar a possível conivência da mãe com as torturas.

A Polícia Civil recolheu no local das torturas, cabos de energia elétrica utilizados para os choques, um balde e uma luva também utilizados nas sessões de choques e um porrete de madeira.

Retificando material anterior, os policias ao chegarem no local relataram que era o monstro quem realizava massagens no tórax de Carlos Henrique, não uma vizinha. Os policiais militares faziam ronda pelo bairro quando notaram uma aglomeração de pessoas na rua, ao se aproximarem, testemunharam e agiram no caso que ficará marcado na comunidade avareense, chocada com o caso que ganhou repercussão nacional.

O corpo de Carlos Henrique Santos do Carmo, de 7 anos, chegou do Instituto Médico Legal (IML) de Avaré por volta de 7h30 em Pardinho. A criança foi velada pelo pai, amigos e familiares. O enterro ocorreu às 10h30, no Cemitério Municipal da cidade.

Irmãozinho de Carlos Henrique contou como eram brutalmente torturados pelo monstro de Avaré - sudoestepaulistaCarlos Henrique e sua mãe Sara, investigada por conivência com as torturas

Cegarra Imóveis

BOM DA PESCA

Santa Cruz – Funerária

CASA DO MECÂNICO

ADS

Meines

BELLA PIZZA

Modelar Box

LPNET

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *