Maioria dos avareenses não sabiam da existência de uma "cracolância" na cidade - sudoestepaulista

Maioria dos avareenses não sabiam da existência de uma “cracolância” na cidade

Há relatos de confusões, gritarias, brigas e crimes no local, um deles registrado no início da madrugada de sábado, 26, onde um viciado foi linchado por vários homens a golpes de barra de ferro.

É uma Estância Turística justamente por suas belezas e recursos naturais, contudo, a cidade exceto o centro e bairros mais abastados, a periferia de Avaré sofre com o abandono das autoridades desde sempre e, hoje em dia, não é diferente. Todos os bairros periféricos, sem exceção, penam por falta de infraestrutura adequada, em todos os sentidos.

 

Basta darmos uma olhada para a linha de trem abandonada que corta a cidade. Por quase toda sua extensão urbana é praticamente uma terra de ninguém. Até no centro, próximo ao Bairro Armando de Paula Assis, de classe média/alta, já existe invasão de local público, com o surgimento de uma mini favela. Próximo dali, onde antigamente era uma estação ferroviária, usuários de drogas também de aglomeram e até assassinatos já foram registrados. Isso a apenas um quartão da sede do 53º BPM/I.

 

Justamente nessa linha de trem, altura do bairro Bom Sucesso é que muitos acreditam ser a “cracolândia” de Avaré, inclusive a redação do Portal que, somente através de uma busca por informações para a matéria sobre o drogado agredido é que chegamos ao verdadeiro e famigerado local.

 

O Portal já havia mencionado o termo “cracolândia” em outras matérias policiais, mas essa sobre a brutal agressão a um usuário reverberou pelas entranhas do município e tornou de domínio público o problema que envolve saúde, segurança e social.

 

“Muita gente nem sabe do caos que é aquele lugar de madrugada”, contou um avareense que conhece bem o ponto de encontro dos viciados em crack. Durante o dia eles se dispersam, mas a noite, dezenas se aglomeram no ponto escuro da rua, revela um interlocutor. “Ficam por lá andando de um lado para o outro, parecendo zumbis”, completou cidadão entrevistado pelo Portal.

 

Segundo um leitor morador do bairro, os moradores próximos vivem com medo. “Na hora do linchamento a vítima gritou muito, todos os vizinhos ouviram, mas ninguém saiu para ver”. Há relatos de confusões, gritarias, brigas e crimes, um deles registrado no início da madrugada de sábado, 26, onde um viciado foi linchado por vários homens a golpes de barra de ferro.

 

O local? Rua Professor Amorim, próximo a rua Professor Amorim, que dá acesso ao bairros Egydio Martins da Costa (Plimec). Na verdade, se trata dos últimos quarteirões da Rua Nicola Piza e está localizado no Bairro Bom Sucesso II, limite com a Vila Martins III.

 

O famigerado local está a cerca de 150 metros da antiga linha de trem, onde também se registra com frequência concentração de usuários de entorpecentes, principalmente o crack.

 

Maioria dos avareenses não sabiam da existência de uma "cracolância" na cidade - sudoestepaulista

Imagem extraída do Google Maps, mostra o ponto onde fica a cracolândia, em Avaré

Cegarra Imóveis

BOM DA PESCA

Santa Cruz – Funerária

CASA DO MECÂNICO

ADS

Meines

BELLA PIZZA

Modelar Box

LPNET

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *