Vinhos e espumantes vindos ilegalmente da Argentina são apreendidos pelo TOR - sudoestepaulista

Vinhos e espumantes vindos ilegalmente da Argentina são apreendidos pelo TOR

Em dias de festas não é difícil imaginar que alguém ou não queria pagar impostos por sua ceia ou estaria tentando levar vantagem no comércio.

.

Nesta quinta-feira, 22, pela Rodovia Castelo Branco, a Equipe do Tático Ostensivo Rodoviário, base região, abordou um veículo que fazia o itinerário Argentina até Sorocaba e dentro dele, foi encontrado grande quantidade de bebida, sem a devida documentação fiscal.

 

Em consonância com as informações fornecidas pela corporação, era 15:50hs, quando o carro foi parado, durante fiscalização de praxe, no km 208 da SP-280.

 

No automóvel de Londrina/PR, os patrulheiros localizaram 35 caixas, contendo 176 garrafas de vinho e algumas de espumante, sem documentação que autorizasse a importação, no popular, contrabando.

 

Os dois ocupantes foram presos pelo crime de Descaminho e encaminhados ao Departamento de Polícia Federal.

 

Após os homens confessaram que carregaram o veículo com as bebidas na Argentina e entregariam em Sorocaba, foi arbitrada a fiança de um salário mínimo para cada.

 

Em tempo, mediante aos fatos, certamente alguém que planejou uma Ceia de Natal mais barata, ou algum comerciante espertinho, agora, terão de correr para ir até uma loja, pagadora de impostos, ou contatar um devido fornecedor e comprar sua apreciada bebida.

Vinhos e espumantes vindos ilegalmente da Argentina são apreendidos pelo TOR - sudoestepaulista Vinhos e espumantes vindos ilegalmente da Argentina são apreendidos pelo TOR - sudoestepaulista Vinhos e espumantes vindos ilegalmente da Argentina são apreendidos pelo TOR - sudoestepaulista Vinhos e espumantes vindos ilegalmente da Argentina são apreendidos pelo TOR - sudoestepaulista

Cegarra Imóveis

BOM DA PESCA

Santa Cruz – Funerária

CASA DO MECÂNICO

ADS

Meines

BELLA PIZZA

Modelar Box

LPNET

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *